Inglês para quem quer estudar inglês

A VIP SCHOOL em Ibitinga oferece muitas vantagens para você estudar inglês com economia e metodologia exclusiva que garante seu aprendizado ou seu dinheiro de volta*.

Ligue (16) 3341 4310 ou faça-nos uma visita a Rua Prudente de Moraes, 998 – Centro

http://www.vipschoolibitinga.com.br

Na VIP SCHOOL você fala e o mundo todo te entende.

 

*As condições para devolução de valores em caso de insatisfação estão no contrato e também serão apresentadas oralmente aos alunos.

Você conhece a história de sua cidade?

Através deste vídeo preparado para a abertura do curso de história para ensino fundamental no colégio Positivo – CEBI de Ibitinga você pode ter uma percepção intrigante sobre como a humanidade vai transformando o ambiente em que vive além de fazer uma viagem no tempo caso você tenha vivenciado o momento de algumas destas imagens do passado.

Este vídeo possui diversas comparações sobre diversas imagens da cidade de Ibitinga do passado para a atualidade. Procure na internet saber um pouco mais da história da sua cidade e da sua família, tenho certeza que ficará entusiasmado com o que o conhecimento de história poderá lhe proporcionar.

Enjoy ;P

Quanto ganha um professor?

Dentre o desprezo do governo e o carinho dos alunos, amigos e colegas, a profissão vale a luta de cada dia, mas que jamais cansemos de lutar.

O reconhecimento dos alunos é o verdadeiro “bônus” do professor paulista.

Por hora, aqui vai uma edição de alguns bons momentos com meus alunos em 2010, espero que gostem.

Men at work

Olá caros leitores,

já faz tempo é verdade, mas estamos arrumando a casa para começar 2011 com muitas novidades. Com artigos sobre educação, curiosidades histórias e o mais importante. Muitas dicas de estudo de inglês que irão ajudá-lo a aprender o idioma indispensável para o século XXI de uma maneira descomplicada.

 

Conto com a sua visita e tenha um ano novo de muitas realizações

 

Grande abraço

Serra é derrotado pela segunda vez que concorre a presidência

Sentimento de alívio, mas a indignação seguirá devido às injustiças diárias e já garantidas com a reeleição em SP para o mesmo sistema de governo. No início de Dezembro este professor será demitido e não gozará de nenhum benefício trabalhista, mesmo sofrendo 9% de desconto em folha para o INSS. Benefícios como os que até os pescadores já conquistaram. Pois em época de piracema, recebem auxílio desemprego pela proibição da pesca.

Fazendo um protesto silencioso fui impedido de permanecer em um local de votação por trajar uma camiseta com os seguintes dizeres:

“Imagine você ficar 5 meses sem receber salário todos os anos!

Sou professor categoria O

Meu patrão não me dá:

– férias remuneradas

– carteira assinada

– FGTS

– 13º integral

Trabalho o ano todo e saio com uma mão na frente e outra atrás.

Demitido em dezembro enquanto os outros saem de férias.

O nome do meu patrão está na urna.

Pense bem antes de confirmar.

Se você consegue ler isso é porque um professor já fez a diferença na sua vida.”

 

Confesso que não entendo a rejeição do povo paulista a um governo que é admirado internacionalmente por suas atitudes frente à crise econômica e a desigualdade social.

“De onde vem a indiferença temperada a ferro e fogo? Quem guarda os portões da fábrica?” Disse Renato Russo

Deixo uma pergunta ao caro leitor:

Já parou para pensar sobre porque os professores de SP não deixam seus filhos estudarem em escolas públicas como as que eles mesmos trabalham?

Nossos leitores podem esperar por críticas a todos os governantes, Federais e Estaduais, pois é fato que não há governo perfeito tampouco entidade capaz de agradar a todos os homens, mas reafirmo que já é um alívio pensar que usar a palavra “homens” com este sentido, está cada vez mais sem sentido.

Feliz dia do professor (ou o que sobrou dele)

Quem acompanha este Blog já conhece o que penso sobre como a educação em São Paulo, vai de encontro às necessidades de um país que deseja se tornar uma das maiores economias mundiais. Em contradição com o que o ator e candidato José Serra diz quando cita o número de escolas e ETECs criadas, este ano na escola onde trabalho estaremos aprovando todos os alunos semi-analfabetos para o 1º ano do Ensino Médio por forças de lei, incluindo a lei do silêncio e a lei do mais fraco onde impera um ambiente de ojeriza aos alunos com professores determinados a aprovar adolescentes incapazes de escrever ou fazer qualquer operação matemática só para não vê-los em suas salas de aula no ano seguinte.

Professores categoria “O” como eu não são incluídos no bônus que o candidato insiste em dizer que é pago aos professores que trabalham mais, pois eu me dediquei intensamente desde o primeiro dia letivo deste ano e serei sumariamente cortado da folha de pagamento em dezembro. Cabe lembrar que mesmo sofrendo descontos que ultrapassam 11% na minha folha de pagamento, não tenho direito a nenhuma seguridade social, a minha condição de “contratado” (e de milhares de professores paulistas) não permite que eu tire licença saúde ou faça inscrições para formação continuada, pois minhas salas seriam imediatamente atribuídas a outro professor. Graças a Deus eu nunca precisei, provavelmente estaria enterrado como indigente se dependesse do governo para qualquer emergência. Gostaria que alguém me explicasse como um professor aprovado em exame público para atribuição de aulas com 83% de índice de acerto pode ser classificado como a categoria mais baixa entre tais profissionais, inferior inclusive aos professores que lecionam a mais de 20 anos mas nunca foram aprovados em concurso algum (muitos deles se recusam a demonstrar que conhecem a matéria que deveriam ensinar mas são protegidos por um governo que prefere não contratar uma vez que estes 240 mil professores custam menos aos cofres públicos).

Devo declarar que conheço um número absurdo de professores sem comprometimento com a profissão, não preparando suas aulas devidamente, não se importando se seus alunos estão aprendendo, não procurando meios de despertar o interesse dos estudantes com aulas mais agradáveis e compatíveis com a realidade de cada escola. Professores egoístas e amargurados, incapazes de oferecer o ouvido para raciocinar sobre uma crítica, totalmente desprovidos de ética e que destroem a imagem desta categoria e daqueles profissionais que ainda se dedicam a buscar sempre uma evolução. Mas aqueles que generalizam e gritam ao vento que todos os professores são vagabundos e acomodados que reclamam de barriga cheia, certamente nunca exerceram uma atividade no setor da educação pública.

Hoje não posso mais me orgulhar dos esforços de minha família além dos meus próprios para conseguir entrar em uma faculdade pública de renome e me manter nela durante anos dividindo meus dias entre trabalho e estudos para após formado, não conseguir um emprego que me ofereça qualquer estabilidade para que eu possa constituir uma família. Minha situação é motivo de deboche em uma cidade onde costureiros e bordadeiras que abandonaram a escola ainda criança, hoje ganham mais que os professores de seus filhos.

Música ajuda a ensinar a “Queda da Bolsa” em NY

Com uma paródia da música “esperando na janela” de Cogumelo Plutão, fiz uma letra sobre os fatores que desencadearam a Crise de 29 com a queda da bolsa em Wall Street. Um importante fenômeno da história da humanidade que frequentemente se repete justamente quando os agentes envolvidos ignoram o que é possível aprender com a história. Recentemente tivemos uma grave crise imobiliária, mais uma vez nascida nos EUA mas que inevitavelmente se espalha pelo mundo globalizado como um efeito dominó. Para se defender da crise o Brasil adotou medidas como a redução do IPI para automóveis e produtos da linha branca (geladeiras, fogões, lavadouras), atitude que deveria tornar permanente uma vez que a carga tributária sobre os brasileiros é uma das maiores do mundo. Quem está no poder tem plena consciência de que são os responsáveis pela vida difícil e limitada vida que os brasileiros levam.

Discuto sempre aqui, para o ensino funcionar bem é preciso que exista um tripé de forças agindo em conjunto:

A família: dando a mais importante das matérias, o respeito ao próximo e pela sua própria vida. A formação do caráter existirá, mas nem sempre influenciada pelos melhores exemplos. Se os pais não passarem seus valores para os filhos, estes irão aprender na rua.

O governo: que tem responsabilidades com os impostos pagos pela população e tem como dever e obrigação dar um ensino de qualidade a todo cidadão. Zelando pela justiça social e pela melhor forma de aplicação do ensino e contratação de profissionais educadores. Infelizmente isso não acontece no Brasil das cotas e da contratação irregular com muitos professores lecionando sem formação e sem perspectiva profissional. Hoje não existem muitas pessoas querendo ser professores, enfrentar anos de faculdade para ter um salário inferior a de pequenos comerciantes ou funcionários da iniciativa privada que não possuem Ensino Médio. Nosso país não entende a importância da educação e a influência benéfica que ela exerce sobre os setores da saúde e da segurança.

Os professores: parece óbvio que para ensinar é preciso saber, mas na realidade muitos professores da rede pública não consegue dar uma aula sem copiar a matéria de um livro para a lousa. Muitas faculdades dão diplomas a profissionais despreparados, muitos deles ironicamente acabam na área da educação. Mesmo a minoria de professores que dominam suas matérias, sentem um sentimento de humilhação e depreciação constante por parte da sociedade e logo perdem o desejo de se empenhar em seu trabalho. Para que exista aprendizado é necessário que o professor sempre inove, buscando métodos convidativos que quebrem a rotina e despertem a atenção e a curiosidade dos estudantes. Aprender a ensinar também é um requisito diário para a profissão de educador.


Em época de eleições a limitação intelectual de grande parte da população brasileira fica ainda mais evidente, colocando na máquina pública atletas e artistas aposentados para resolver os problemas sociais mais graves como a falência do sistema de saúde público ou os altos índices de violência urbanos, inclusive no trânsito.

Peço aos meus leitores que tenham vontade e fé de que é possível mudar o mundo começando pelas suas próprias mudanças, como a “queda da bolsa de NY” nos ensinou… nossas pequenas atitudes poder geram uma ação em cadeia, um efeito dominó que contamine tudo a seu redor.

Espero que estes pensamentos sejam úteis  e aguardo sua opinião nos comentários


Abraço a todos 🙂

  • Ganhe o mundo aprendendo inglês de qualidade sem gastar muito

  • Enquete

  • Arquivos com todos os posts

  • mais acessados